Mensagem do Provincial

Agosto mês das vocações!

Cartaz Mês Vocacional 2016 finalSeria muito bom que como batizados pudéssemos lutar pela consciência de que todos os meses são meses vocacionais. Deus nos chama todos os dias. O primeiro chamado que Dele recebemos é o chamado à vida.  “Vocação é um chamado de Deus que requer disponibilidade, atitude de discípulo (a), amor, fé e gratuidade”.

Um dos nossos fundadores, Pe. Libermann, que viveu de 1802 a 1852, definiu Vocação, de maneira que se atualiza a cada dia. Ele disse: “Vocação, é antes de tudo, um encontro pessoal com Jesus Cristo”. O Documento de Aparecida evidencia que a origem do discipulado está no encontro pessoal com Jesus Cristo. Por isso mesmo ressalto a atualização do conceito vocação na visão de Libermann, pois toda vocação nasce deste encontro com a pessoa de Jesus Cristo.

Os primeiros seguidores de Jesus foram ao Jordão, onde João batizava, com a esperança de encontrar o Messias (Mc 1,5). Os que se sentiam atraídos pela sua sabedoria, pelas suas palavras, pela bondade de seu comportamento, pelo poder de seus milagres e pela admiração inusitada que sua pessoa despertava chegaram a ser discípulos e discípulas de Jesus. Este encontro com Jesus marcou a vida dos seus seguidores para sempre. O chamamento de Jesus trás uma grande novidade. Jesus não chama para se vincular a algo transcendente ou para seguir a Lei de Moisés, para se conectar ao fundador ou à fundadora de nossas congregações, ou a um padre “super star”. Jesus chamou para vincular-se a Ele, porque Ele é a fonte da vida (Jo 15, 5) e só Ele tem palavra de vida e de vida eterna (Jo 6, 68).

Papa Francisco diz que é necessário no seguimento, estar disposto a colocar-se à escuta da voz de Cristo e nos convida a seguirmos a Jesus, deixando-nos transformar interiormente por suas palavras. E para vivermos de fato nossa vocação, devemos tornar-nos leves, não nos preocuparmos com tanto “adornos”, para que o Espírito Santo nos conduza para onde Ele quiser, pois só Ele sabe as verdadeiras necessidades da missão em suas mais diferentes dimensões. O Espírito é aquele que nos identifica com Jesus Caminho, Verdade e Vida, ensinando-nos a renunciar as nossas mentiras, ilusões e as próprias ambições e nos identificar com Jesus-vida. Porém, não devemos esquecer que identificar com Jesus é também compartilhar o seu destino. “Se alguém quer me seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga (Mc 8, 34)”.

Como vocacionados devemos entender que antes de carregarmos a nossa “cruz”, primeiramente devemos seguir a Cristo. Não se sofre e depois se segue a Cristo… Cristo se segue por Amor, e é a partir daí que se compreende o sacrifício, a negação pessoal: «Quem quiser salvar sua vida a perderá; e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará» (Mt 16,25). É o amor e a misericórdia o que nos leva ao sacrifício. Todo amor verdadeiro gera sacrifício de uma forma ou de outra, mas nem todo sacrifício gera amor. Deus não é sacrifício; Deus é Amor, e só esta perspectiva dá sentido à dor, ao cansaço e às cruzes de nossa existência segundo o modelo de pessoa que o Pai nos revelou em Cristo. Isto serve para todas as vocações e a Igreja Católica, representada em cada batizado, zela por todas as vocações.

No primeiro domingo deste mês de agosto, destacou as vocações sacerdotais (dia do Padre). No segundo, a Vocação Familiar (dia dos Pais), no terceiro domingo, as vocações religiosas (dia da Vida Religiosa), no quarto domingo, destacará as vocações leigas (dia dos Ministérios Leigos), também (dia do Catequista). Somos chamados à vida. A vida é missão. A vocação missionária deve ser o motor de todas as vocações. “Disponhamos, pois, o nosso coração para que seja ‘boa terra’ a fim de ouvir, acolher e viver a Palavra e, assim, dar fruto”. Por isso Escuta, Aprende, e depois Anuncia o que Deus tem a te dizer.

José Altevir

José Altevir

Sou natural de Guajará - AM. Fui ordenado padre espiritano em 06/12/1992, em Cruzeiro do Sul - AC. Trabalhei em Vilhena - RO por seis anos. Em São Paulo, fui formador por mais nove anos. Trabalhei também como assessor da Comissão Missionária e secretário do COMINA, na CNBB, em Brasília. Atualmente, estou como Provincial dos espiritanos no Brasil.

2 Comentários

Clique para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pe. Altevir,
    A nossa missão só tem sentido quando nossa vocação, é antes de tudo, um encontro pessoal com Jesus Cristo (Pe. Libermann). Toda vocação para ser bem vivida e vivida consciente requer “abrir mão” de algo, ou fazer “opções”, que devem gerar vida e disponibilidade/serviço aos outros e à natureza.
    Desejo que neste mês (em especial), o Santo Espírito de Deus, ilumine a todos a aprofundar nossa vocação e torná-la senal de amor.