Vocações

Vocação: opção por uma vida alegre

alegraiA nossa identidade não é forjada do nada. Ela é composta por heranças e opções livre atuais. Então é no confronto entre nossa herança e nossa existência que elaboramos quem somos e qual é o nosso papel neste mundo.

Nossa tradição espiritana, desde dos fundadores Poullart des Places e Libermann, nos aponta a alegria de ser missionários, pessoas consagradas pelo Espírito Santo para testemunhar e anunciar o Reino junto aos pobres da terra, nos locais onde a Igreja tem dificuldade para encontrar agentes. Essa é a nossa herança! Esse é o caminho percorrido por aqueles que nos antecederam na missão.

Entretanto, agora há um caminho a nossa frente, um caminho a ser percorrido, que exige escolhas. Então é necessário atenção às vozes e aos sinais dos tempos, pois “o chamamento de Deus ao serviço do Reino não nos é dirigido de uma vez para sempre: a nossa resposta tem de ser incessantemente atualizada.” (RVE 142).

Ao fim e a cabo, como espiritanos e espiritanas, queremos viver a plenitude do nosso ser, queremos seguir Jesus de Nazaré, como mestre e guia para uma vida alegre. A partir da experiencia de fé de nossos fundadores, seus sucessores e os confrades de ontem e de hoje fomos atraídos para esta família e fascinados por Jesus, e logo, tomando parte entre o Povo de Deus, como afirma o Papa Francisco:

queremos inserir-nos a fundo na sociedade, partilhamos a vida com todos, ouvimos as suas preocupações, colaboramos material e espiritualmente nas suas necessidades, alegramo-nos com os que estão alegres, choramos com os que choram e comprometemo-nos na construção de um mundo novo, lado a lado com os outros. Mas não como uma obrigação, nem como um peso que nos desgasta, mas como uma opção pessoal que nos enche de alegria e nos dá uma identidade (Alegria do Evangelho, 269).

Sejamos, pois, alegres missionários e missionárias do Reino! Atentos às exigências das realidades onde estamos inseridos, segundo o carisma e espiritualidade da família espiritana.

Lucas Duarte

Sou natural da zona oeste de São Paulo-SP. Entrei na família espiritana em 2008. Atualmente sou agente da Pastoral Carcerária (Região Belém - ArquiSP) e assessor da Juventude Espiritana Missionária (JEM).

1 Comentário

Clique para comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Formidável todo o conteúdo das notícias. Espiritanos, os senhores fazem o Reino de Deus acontecer … Do Norte ao Sul, quem os conhece agradece.