Notícias Notícias Provincial

Espiritano recebe homenagem na Bolívia

O Ministério da Justiça, Vice Ministério de Justiça e Direitos Fundamentais, a Comunidade de Direitos Humanos, o Capítulo Boliviano de Direitos Humanos Democracia e Desenvolvimento, a Secretaria Técnica do Conselho Nacional de Direitos Humanos por solicitação do Escritório do Alto Comissionado das Nações Unidas para os Direitos Humanos-Bolívia, no Documento nº 133/2014, decidiu convocar ao Pe. Leonardo, e oficializou que no 66º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, na cidade de La Paz-Bolívia, a Pastoral Carcerária seria reconhecida e homenageada pelo seu trabalho na promoção e proteção dos Direitos Humanos, sob a organização, direção, e articulação de Padre Leonardo da Silva Costa, CSSp, na condição de Coordenador Nacional, já pela terceira vez.

EnviarPadre Leonardo assegurou que este gesto de agradecimento, esta homenagem vinda dos ministérios de governo, da presidência, especialmente do Ministério da Justiça e do Alto Comissionado da ONU para os DDHH, confirma o compromisso da Igreja Católica, como um mandato do Evangelho, na defesa da vida, na promoção humana e social no mundo carcerário. Políticas de reabilitação, reinserção social-familiar-laboral e prevenção ainda é parte de um grande déficit em nosso país (Bolívia). É um complemento onde o Estado não chega eficazmente.

Padre Leonardo também ratificou que este gesto não deve somente massagear o ego do responsável com as várias equipes que desenvolvem este serviço. Não é um privilégio nem honra. Ainda é vergonhoso que uma Nação necessite lutar para materializar o que deveria ser uma prática habitual e não, resultado de permanentes conquistas e lutas (DDHH).

Esta iniciativa vinda do Oficialismo é também recebida numa perspectiva positiva: o Governo Nacional reconhece que a nossa Igreja é uma Igreja itinerante, ativa, comprometida com as periferias descartadas nas prisões, com a vida, vive nas pegadas de Jesus, é uma Igreja “em saída”, que gera vida, esperança fora das sacristias e paredes dos templos.

É uma oportunidade de sensibilizar, comprometer, tornar conhecido um serviço que requer unidade, somatória de esforços do governo nacional, estadual, municipal, Igrejas, ONGs e sociedade civil.

Educação, religião, família e alegria, devem ser profundamente ressaltadas em termos de direitos fundamentais. Também necessitamos banir as desigualdades sociais com o apoio de todos, fazendo inversões de recursos econômicos e humanos, para transformar o sistema e as estruturas. Prima resgatar as boas práticas e tomar consciência de que o modelo vigente é totalmente inútil e denigra completamente a dignidade humana.

Este evento foi realizado no Hotel Torino (La Paz) em presença de Denis Racicot, representante máximo do Alto Comissionado da ONU para Direitos Humanos; representante da Comunidade de DDHH de Bolívia, Monica Bayá; do Capítulo de DDHH, Lizeth Estrada; Ministra e Vice-Ministro de Justiça, entre outras autoridades.