Notícias Provincial

Santo Antônio e a esperança do pobre

Festa de Santo Antônio na Paróquia São Cristóvão, na comunidade cujo padroeiro é Santo Antônio. Com a participação de muitos fiéis, do pároco Pe. Francisco Lückmann, do vigário Pe. Elias Udeh e o provincial dos espiritanos, Pe. Altevir, a celebração teve início com a procissão, que carregando o andor de Santo Antônio os fiéis se dirigiram rezando e cantando para comunidade.

A missa foi presidida pelo Pe. Altevir, que iniciou sua homilia lembrando que a Igreja no Brasil celebra em 13 de junho o dia de Santo Antônio, um dos santos mais populares em nosso meio. O presidente da celebração lembrou que Santo Antônio é o padroeiro do município de Duque de Caxias, Baixada Fluminense – RJ, mas também protetor e defensor dos pobres. Santo Antônio, além de sua fama de santo casamenteiro, o frade franciscano também é o padroeiro dos humildes e distribuía alimentos a quem passava fome; daí a expressão “o pão do pobre” ou o pãozinho de Santo Antônio.

A comunidade Santo Antônio na paróquia de São Cristóvão, Cabo Frio, depois da missa continuou com a festa em homenagem ao Santo.

Concluindo a celebração Pe. Altevir falava do grande compromisso missionário de cada batizado, ressaltado no Evangelho do dia, no qual Jesus dizia: “você é a sal da terra, você é a luz do mundo”. E pedia aos fiéis para que a exemplo de Santo Antônio e seguindo os ensinamentos de Jesus, nos tornássemos cada vez mais defensores dos pobres, da família, dos jovens, dando “sabor” à sua vida e garantindo a esperança. Pois não se pode roubar a esperança dos pobres.

Haroldo Evaristo Alves da Silva CSSp

Natural de Brasília/DF, consagrado Espiritano em 16/12/1990, ordenado padre em 02/02/1997. A primeira missão como religioso sacerdote foi nas Filipinas, onde ficou por 4 anos, depois trabalhou em Ceilândia/DF; Governador Valadares/MG; Roma (Casa Geral, onde ficou de 2006 a 2013); São Paulo (Casa Provincial); Salete/SC; Belo Horizonte/MG; foi diretor da casa de filosofia (1º Ciclo) em São Paulo/SP; retornou como Vigário Paroquial em Ceilândia/DF por 2 anos e agora volta a São Paulo para assumir uma nova missão, a Quase-Paróquia São João Paulo II, na Região Belém.

Comentar

Clique para comentar